Home » Circuitos » Detector de Mentiras – Polígrafo

Detector de Mentiras – Polígrafo

Você acredita no detector de mentiras?? Essa pergunta é bem estranha, mas segundo muitos dos especialistas o detector de mentiras não é 100% eficiente.

Mas os atuais detectores de mentiras são tão sofisticados que não utilizam somente a condutividade da pele, mas sim vários outros fatores em que uma mentira pode causar mudanças na fisiologia humana como tais pressão arterial , pulso e respiração.

O que é um  detector de mentira ou Polígrafo

O detector de mentira, tecnicamente chamado de Polígrafo no caso do uso profissional, é um aparelho eletrônico capaz de medir e gravar registros de diversas variáveis fisiológicas humanas, durante um relato ou depoimento, e posteriormente comparando os dados  a verificação da veracidade das perguntas.

O polígrafo foi inventado em 1921 por John Augustus Larson , que era um estudante de medicina na Universidade da Califórnia e policial do Departamento de Polícia de Berkeley na Califórnia.

Para se ter ideia de sua grandeza, segundo a Enciclopédia Britânica o  polígrafo foi listado entre as maiores invenções em 2003. Em estudos recentes, foi provado que o polígrafo se usado em pessoas não treinadas, o resultado pode descriminar a verdade em altas taxas de acerto, mas não 100%.

O teste com o polígrafo também pode ser chamado de exame de detecção psico-fisiológica de fraude ou PPD (do inglês  psychophysiological detection of deception ). No Brasil o polígrafo não é utilizado, já que um erro na lei diz que o réu tem  “O direito de não produzir prova contra si mesmo“.

É possível enganar o Detector de mentira?

Sim, com um bom treinamento e o auxílio de produtos químicos é possível burlar os equipamentos de  polígrafo. Como ele usa as variáveis fisiológicas humanas, você tem que obter o total controle sobre elas, um tanto difícil para a grande maioria de nós, mas com treino é possível.

Circuito de Detector de Mentiras – Polígrafo simples

O  projeto de detector de mentira tem seu princípio de funcionamento na alteração da resistência do corpo humano através da transpiração, que neste caso significa que uma pessoa está nervosa ou mentindo.

Aqui vamos mostrar dois tipos de detectores de mentira, um utilizando um galvanômetro e outro através de som.

Circuito do Detector de Mentiras - Polígrafo
Circuitos do Detectores de Mentiras ou Polígrafos

Os dois circuitos eletrônicos de detector são simples, mas capaz de detectar qualquer alteração da resistência da pele e com isso uma possível mentira.

Os eletrodos devem ser seguros um em cada mão, no caso do circuito com galvanômetro, o ponteiro deve se ajustado pelo potenciômetro de 10K para que fique parado no meio da escala, se não me engano este projeto é do mestre Newton C Braga.

Já o detector de mentiras com indicador por áudio não tem ajustes só a mudança de áudio em caso de mudança de resistência da pele.

O uso do detector de mentira é simples, após segurar os eletrodos e ajustar, interrogue o usuário, se o ponteiro mexer, ou ter uma mudança de som, a resposta pode ser uma mentira (ou não!).

Nova Eletrônica - Circuitos e projetos Eletrônicos grátis
Nota Importante: Para perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões utilize a página de contato .
[ Clique Aqui! ]