Home » Ferramentas » Circuito Testador de Tiristor SCR Triac

Circuito Testador de Tiristor SCR Triac

Atualmente muitas fontes chaveadas tem em seu circuitos os tiristores, em sua maioria os SCR, mas em alguns casos raros também pode ser encontrado o Triac em seu esquema. Muitos outros circuitos como dimmers e o  relés em estado sólido usam estes componentes.

Geralmente estes componentes são submetidos a grandes estresses elétricos, que na maioria dos casos podem chegar a queima espontânea do componente, mas como saber se o SCR ou TRIAC está realmente queimado?

Usando um multímetro e uma fonte de alimentação de baixa corrente e tensão já é possível diagnosticar se um tiristor está com problema.

Mas quando trabalhamos em uma bancada, tempo é dinheiro, então é mais viável ter um pequeno circuito de teste de SCR ou TRIAC.  Anteriormente publiquei um teste de SCR e como testar SCR, mas este aqui é mais completo e pode ser usado em quase todos os tiristores.

Como Testar um SCR ou Triac

O circuito abaixo é uma ferramenta muito útil para uma rápida verificação de todos os tipos de tiristores como os SCR, triac, etc. No caso de um triac, todos os quatro quadrantes são testados, o que é feito com S3, enquanto no caso de um tiristor padrão, uma fonte de alimentação positiva e gatilho é feito com S1.

 

Circuito Testador de Tiristor SCR Triac

O valor das resistências R1 e R2 são escolhidas para se obter uma corrente de cerca de 28 mA, o que é mais do que suficiente para a maioria dos tiristores. A corrente de retenção é determinada por R3, e é de 125 mA, que é mais do que suficiente para manter o tiristor conduzindo, depois de ter sido acionado.

Uma vez que D1 é um LED vermelho, e D2 de um LED verde, o teste é iniciado com S2, e o circuito é reiniciado com S4 após o teste ter sido concluído. No caso de um triac, MT1/A1 está ligada à terra, o gate para S2 e MT2/A2 para R3, no caso de um tiristor padrão, o ânodo está ligado a R3, o cátodo para terra, o gate para S2.

Se, num caso raro o gatilho de corrente tem de ser alterado, o que pode ser feito mudando o valor das resistências R1-R3, conforme apropriado.

O gatilho de corrente pode também ser feita variável pelo uso de uma fonte de potência variável. Se isso for feito, certifique-se que a dissipação dos resistores não seja ultrapassado.

[Fonte]
Nova Eletrônica - Circuitos e projetos Eletrônicos grátis
Nota Importante: Para perguntas, dúvidas, críticas ou sugestões utilize a página de contato .
[ Clique Aqui! ]